13/07/2008 10:44
Turma que Faz
Cultura e ecologia andam juntas em São Jorge

por Assessoria de Imprensa, da Agência de Notícias Cavaleiro de Jorge

Marcelo Scaranari

O projeto Turma Que Faz é focado na arte-educação, valoriza a diversidade cultural local e busca ainda reforçar a importância da preservação ambiental. Realizado através de uma parceria entre a Associação Comunitária da Vila São Jorge (ASJOR), o Fundo da Infância e da Adolescência Alto Paraíso (GO) e a Petrobrás, conta atualmente com a participação de cerca de 120 moradores da vila, entre crianças, jovens e adultos. Consiste na implementação de atividades educativas, artísticas, culturais, esportivas e ambientais para moradores da vila de São Jorge e do município de Alto Paraíso, atendidos direta e continuamente em cada localidade. 

A vila de São Jorge já conhece bem o trabalho apaixonado da coordenadora do Turma Que Faz, Doroty Marques. Ela conta que toda a estrutura utilizada é feita manualmente. A própria escola, as mesas, cadeiras - bases para realização do projeto, são produzidas pelos participantes. Os instrumentos percussivos, fantasias, bonecos feitos de arame e argila e as caixas de utensílios (porta jóias, etc.), além de ecológicos (reaproveitam os elementos da natureza), são feitos com carinho especial.

Doroty Marques também dirige e coordena as operetas, um dos desdobramentos do Turma Que Faz. "É um projeto da comunidade feito pela comunidade, de qualidade, de alto nível, que fecha o Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros. É um produto cultural e ecológico", explica. 

Segundo Doroty, o projeto das operetas foi escrito na época da ditadura e como era proibido "falar", usava mímica para demonstrar sua indignação com a destruição da natureza. Naquele tempo, chegou a se apresentar nas obras hidrelétricas de grandes companhias brasileiras. "Elas foram as primeiras que começaram a destruir nossas reservas ecológicas. Sempre atuei em defesa do meio ambiente. Há mais de 30 anos já falava que o planeta ia ficar sem água e sem jovens".

A cada ano a artista se desdobra para trazer ao público de São Jorge e visitantes uma criação diferente. Este ano, fecha o VIII Encontro de Culturas com a opereta "O que é, o que é? Faca sem ponta e galinha sem pé", inspirada nas brincadeiras populares de adivinhações.

"O Encontro ajuda a cidade filosoficamente, economicamente, culturalmente. Se não fosse ele, São Jorge seria mais um ponto onde o turista viria e não aprenderia nada, somente um ponto turístico. O Encontro e o projeto Turma Que Faz mudou esta história. O turista sente uma vibração, uma energia e vê que não é só olhar. Não estamos aqui para formar grandes músicos, queremos despertar no ser humano a importância dele no planeta, que se sinta capaz, digno e não mais um na 'manada'", concluiu Doroty.

enviar por e-mail | imprimir
topo da página | mais notícias

26/05/2009 - IX Encontro de Culturas
Vem aí o IX Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros

02/08/2008 - Encontro
Zambiapunga e Turma que Faz celebram o fim do VIII Encontro de Culturas Tradicionais

02/08/2008 - Arcoverde na Chapada
"É só tocar um pouco de Fogo que a explosão ocorre”

01/08/2008 - Entrevista
“Incelente Maravilha”

01/08/2008 - Show
Música caipira faz as honras da casa


Conheça o espaço que o Encontro de Culturas preparou dedicado às artes e ofícios da cultura popular.


Programe agora sua viagem para São Jorge. Encontre as pousadas, campings e restaurantes da Vila.


Crônica
Dona Gracinha da Sanfona

 

Início | O Encontro | Programação | Imprensa | Palavra do patrocinador | Notícias | Ficha Técnica | Patrocinadores | Contato

2008. Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros. Um projeto da Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge.
Fotos e matérias podem ser distribuídas desde que citados os créditos da Agência de Notícias Cavaleiro de Jorge e do fotógrafo.

Desenvolvido por Carlos Filho - websites Goiânia - www.carlosfilho.com