Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 


18/07/2009 16:37
Moacir, o artista da Chapada

por Sinvaline Pinheiro

18/07/09  0 comentários  lida 2612 vezes enviar por email

Arte bruta? Foi a definição do cineasta Walter Carvalho sobre Moacir, o artista de São Jorge que começou a pintar aos 7 anos de idade usando carvão e caixas de papelão.


Moacir em seu ateliê improvisado. Foto: Sinvaline Pinheiro

Arredio, Moacir fugia das pessoas e com o desenvolvimento da Vila de São Jorge ele se abriu mais e, hoje, até concede entrevistas, fazendo questão de mostrar as centenas de figuras criadas no seu dia a dia. Sua pintura é a óleo, giz de cera , lápis de cor e tinta para tecidos.
 
A identidade visual dos nove Encontros de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros é obra desse artista enigmático. Sem nenhuma sugestão, até porque não aceita, ele produz a seu modo a ilustração do evento.
 
Moacir mora com a mãe, dona Maria Odúlia Apolinário de Jesus, que vigia seus passos e sempre o corrige quendo Moacir diz algo que não a agrada. Quando ele diz que não acredita em Deus, por exemplo, ela corrige rápido:
 
- Acridita sim, ele acridita!
 
Moacir apenas sorri, mas não confirma que acredita.
 
A mãe conta como o filho iniciou os desenhos:
 
- Ele cumeçou minininho, aos 7 anos de idade, eu gostava muito do que ele fazia, mas cuma aqui num tinha nem istrada pra comprar material, entonse ele pintava nas caixa de papelão cum carvão..
 
Dona Maria acredita ser  um dom de Deus, um segredo que não se pode entender:
 
- É  segredo num podi fica falando, Deus deu tem que fica com ele...
 
A arte do Moacir retrata diabos e mulheres nuas misturando facas, pássaros e flores. Quando pequeno, ele só pintava em um quarto escuro. Atualmente já trabalha  na claridade e as paredes e muros de sua casa se tornaram uma grande tela de diabos, anjos e mulheres.
 
Moacir também fez muitas esculturas em argila, todas vendidas, mas pela falta de material, ele já não as faz mais.
 
Moacir não gosta de viajar ou mesmo de sair de casa. Se sente responsável pelos trabalhos domésticos. Ele reclama que a mãe reza muito e quando pergunto se reza também, ele esconde o rosto e diz sorridente:
 
- Num gosto de reza, num adianta nada, num tenho religião, isso é bobage...
 
Sobre Deus e o Diabo:
 
- Sei que tem Deus porque ele aparece pra mim, é branco como o papel e fala , fala mas eu num entendo. O Diabo também aparece, ele é bonzim, desde pequeno ele vem fala comigo, mas ele é branco tipo fumaça.
 
As visões que Moacir tem desde pequeno justificam sua arte, segundo ele:
 
- Eles aparece e disaparece, pode ser de dia e de noite, puxa minha camisa, num iscuto o que eles quer falar, num tenho medo, ai rabisco elis!
 
Não aprendeu a ler e desenha o nome, diz que o povo de São Jorge não sabe ensinar e me mostra com orgulho como aprendeu fazer o A B C.
 
Sobre seus quadros ele não quer falar, apenas sorri e esconde o rosto. Moacir tem muita dificuldade para ouvir e falar, e teve uma infância difícil conforme conta seu pai, sr. Domingos:
 
- Esse menino é um artista! Eu num dô conta de fazê o que ele faiz!
 
E continua:
 
- Foi muito bão isso pra ele, pois sufria muito sem escutá direito andava sozim nos lugar ermo cheio de onça, garimpando miçanguinha pra vender, hoje ele é riconhecido.
 
Vários pesquisadores, turistas e curiosos visitam o ateliê improvisado do artista, porém todos saem sem ter respostas sobre o enigma que envolve Moacir e sua arte.

 

Envie seu comentário
*Seu nome:
*E-mail (não será publicado):
Site (inclua o http://)
*Comentário:
*Preencha a resposta:
* campos obrigatórios

Comentários nesta matéria:

Seja o primeiro a comentar! Use o formulário ao lado e participe!

 


01/08/2009 | Lia de Itamaracá
  "Tiro minha energia do amor"
 
31/07/2009 | Opereta
  Doroty Marques e o mundo mágico do Turma que Faz
 
30/07/2009 | Percussão
  Mamour Ba, diálogo com os tambores
 
29/07/2009 | Capoeira Angola
  Mestre Cobra Mansa e o Permangola
 
27/07/2009 | Xilogravura
  Guará e sua arte
 
27/07/2009 | Cultura Digital
  Produtora Cultural Colaborativa
 
27/07/2009 | Comunidade Kalunga
  Zenira, a raizeira kalunga
 
26/07/2009 | Kalungas
  A tradição secular de descendentes dos escravos
 
25/07/2009 | Folia do Divino de Formosa
  Folia da Roça
 
24/07/2009 | Roda de Prosa
  As mulheres no Encontro de Culturas
 
23/07/2009 | Aldeia Multiétnica
  Aldeia dos povos
 
19/07/2009 | Aldeia
  Aldeia Multiétnica abre em grande estilo
 
18/07/2009 | Arte
  Moacir, o artista da Chapada
 
18/07/2009 | Feira
  Feira de Oportunidades Sustentáveis
 
18/07/2009 | Lançamento literário
  Entre os cimos nublados, uma solidão selvagem
 
16/07/2009 | Atrações
  Encontro de Culturas da Chapada dos Veadeiros
 



4939 visualizações - 23/07/2009
Interação aumenta a cada dia na III Aldeia Multiétnica

3168 visualizações - 03/07/2009
Fórum de Culturas Tradicionais do Estado de Goiás

   
Início | O Encontro | Programação | Imprensa | Notícias | Ficha Técnica | Contato
2004 - 2009. Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros. Um projeto da Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge e Asjor.
Fotos e matérias podem ser distribuídas desde que citados os créditos da Agência de Notícias Cavaleiro de Jorge e do fotógrafo.
Desenvolvido por Carlos Filho - Goiânia