Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 


30/07/2009 15:24
Mamour Ba, diálogo com os tambores

por Sinvaline Pinheiro

30/07/09  0 comentários  lida 2023 vezes enviar por email

O músico, percussionista, cantor e arranjador Mamour Ba é senegalês, mas há mais de vinte anos reside em Minas Gerais.


Mamour Ba: "O aluno precisa aprender a tocar sem se cansar". Foto: Vivan Scaggiante

Possui mestrado em música pela Universidade de Versailles na França e seu trabalho é conhecido em todo o mundo. Criou uma escola de aprendizagem musical que resgata os ritmos tribais formando músicos, artistas e instrumentistas em técnicas de tambor, djembê, congas, tambores de base, canto, violão, interpretação, dança e outras.

Seu filho Cheikh Ba é solista e tecladista do Conexão African Beat, grupo idealizado por Mamour Ba.

Mamour Ba na oficina de percussão enfatiza bem que o primeiro sentido da aprendizagem é a paciência, e explica:

-Paciência não se adquire com alguém falando, ela é trabalhada. É necessário trabalhar com as máscaras, retirando uma a uma...

Segundo ele, na África a percussão leva até oito anos para que se comece a batucar um tambor. Critica pessoas que assistem uma ou duas aulas e dizem ser percussionistas. Além da necessidade de um bom professor, existe o tempo para se trabalhar a paciência e o ritmo.

- O aluno precisa aprender a tocar sem se cansar, respeitar o caminho do ritmo, o preparo de escuta...

O mestre deixa bem claro que o tambor é um instrumento difícil de se tocar pois ele necessita do equilíbrio entre uma mão e outra:

- O tambor é um instrumento nobre, tem que se tocar elegantemente, é um instrumento que passa o código e só os calos das mãos podem dizer quem é bom percussionista!

Para Mamour Ba o segredo do bom professor é passar muito tempo com o aluno, dez ou quinze anos ou mais e ainda comerem juntos, testando a paciência e aprendendo a dialogar com os tambores.

A disciplina é fundamental para a aprendizagem da percussão, sem ela é com se jogar energia fora, diz ele. O aluno aprende desde a manutenção, a forma de carregar e ainda a conversar sozinho com o instrumento.

E complementa sorrindo:

- O mais difícil é fazer o aluno ficar sentado e ouvir...

Mamour Ba e seu filho, com vivência rítmica e a improvisação balançaram o grande público no Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros.

No palco o djembê chama e numa cumplicidade sem igual os tambores de Cheikh Ba respondem. Pai e filho se harmonizam; um olhar ou um sorriso e o ritmo se estende por caminhos variados.

Ao som dos tambores, das improvisações de Mamour Ba em gritos tribais fortes e também suaves, o coração da África  ressoou forte na noite de São Jorge.

 

Envie seu comentário
*Seu nome:
*E-mail (não será publicado):
Site (inclua o http://)
*Comentário:
*Preencha a resposta:
* campos obrigatórios

Comentários nesta matéria:

Seja o primeiro a comentar! Use o formulário ao lado e participe!

 


01/08/2009 | Lia de Itamaracá
  "Tiro minha energia do amor"
 
31/07/2009 | Opereta
  Doroty Marques e o mundo mágico do Turma que Faz
 
30/07/2009 | Percussão
  Mamour Ba, diálogo com os tambores
 
29/07/2009 | Capoeira Angola
  Mestre Cobra Mansa e o Permangola
 
27/07/2009 | Xilogravura
  Guará e sua arte
 
27/07/2009 | Cultura Digital
  Produtora Cultural Colaborativa
 
27/07/2009 | Comunidade Kalunga
  Zenira, a raizeira kalunga
 
26/07/2009 | Kalungas
  A tradição secular de descendentes dos escravos
 
25/07/2009 | Folia do Divino de Formosa
  Folia da Roça
 
24/07/2009 | Roda de Prosa
  As mulheres no Encontro de Culturas
 
23/07/2009 | Aldeia Multiétnica
  Aldeia dos povos
 
19/07/2009 | Aldeia
  Aldeia Multiétnica abre em grande estilo
 
18/07/2009 | Arte
  Moacir, o artista da Chapada
 
18/07/2009 | Feira
  Feira de Oportunidades Sustentáveis
 
18/07/2009 | Lançamento literário
  Entre os cimos nublados, uma solidão selvagem
 
16/07/2009 | Atrações
  Encontro de Culturas da Chapada dos Veadeiros
 



4933 visualizações - 23/07/2009
Interação aumenta a cada dia na III Aldeia Multiétnica

3163 visualizações - 03/07/2009
Fórum de Culturas Tradicionais do Estado de Goiás

   
Início | O Encontro | Programação | Imprensa | Notícias | Ficha Técnica | Contato
2004 - 2009. Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros. Um projeto da Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge e Asjor.
Fotos e matérias podem ser distribuídas desde que citados os créditos da Agência de Notícias Cavaleiro de Jorge e do fotógrafo.
Desenvolvido por Carlos Filho - Goiânia