Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 

Fortalecer os laços culturais de origem afro-brasileira no Centro-Oeste, mais especificamente no que se refere à capoeira angola. Essa é a proposta do II Encontro de Capoeira Angola, que acontece durante o IX Encontro.

O II Encontro de Capoeira Angola é uma das atrações do IX Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeisos. A ideia é promover um encontro entre diferentes gerações da capoeira angola, reunindo Mestres com reconhecimento mundial, novos Mestres e praticantes em uma grande festa da capoeira angola no coração do Brasil.


Oficina de Capoeira Angola com Mestre João Pequeno (BA) durante o VII Encontro de Culturas em 2007 Foto de Marcelo Scaranari

No evento estarão presentes o Mestre Pelé da Bomba, respeitado mestre da capoeira angola da Bahia, conhecido pela sua voz inconfundível; o mestre griô de capoeira de Goiás, Mestre Sabú, um dos precursores do movimento em Goiás, ex-aluno de Mestre Pastinha e Mestre Caiçara; além de dois grupos de capoeira angola do estado: Só Angola, com o Mestre Vermelho, e Grupo FICA (Fundação Internacional de Capoeira Angola), com Mestre Cobrinha da Bahia e o trenel Leninho.

O II Encontro de Capoeira será realizado nos dias 25 a 27 de julho, mesma data em que acontece em São Jorge o Fórum Goiano de Cultura Tradicional, promovido em parceria com o projeto Goiás Festeiro.

Na programação estão rodas de prosa com a participação dos Mestres, oficinas, rodas de capoeira e rodas de samba. Conheça um pouco mais sobre os convidados do II Encontro de Capoeira Angola:

Mestre Pelé da Bomba (BA)

Nasceu em 1934 na cidade de Governador Mangabeira-Bahia. Seu início na capoeira foi em 1946, na rampa do antigo Mercado Modelo. Teve como mestre o finado Bugalho, um dos maiores tocadores de berimbau da Bahia. Mestre Pelé da Bomba é conhecido pela voz inconfundível, fez história nas rodas de capoeira das festas de largo como Conceição da Praia, Boa Viagem, Lavagem do Bomfim e outras, ficando conhecido como o "gogó de ouro da Bahia". Também ensinou no Corpo de Bombeiros, onde era membro da corporação daí o nome de guerra "da Bomba". Já viajou por diversos países da Europa representando a capoeira angola.

Mestre Sabu (GO)

Mestre Sabu (Manoel Pio de Salles), pioneiro da Capoeira em Goiás com o Terreiro de Capoeira Angola, fundado em 1969, é um dos mais respeitados capoeiristas da década de 70 em Goiás. Conheceu Mestre Bimba assim que o grande Mestre mudou-se para o estado e visitou a barraca de artesanato de Mestre Sabu, na Feira Hippie de Goiânia. Nesta oportunidade, em que o 'Rei da Capoeira' viu os filhos de Mestre Sabu, na maioria crianças, brincando numa roda de Capoeira, elogiou o seu trabalho, reconhecendo o apuro técnico na execução dos movimentos e marcando de forma indelével a lembrança de Sabu.

Mestre Sabu, que criava quase duas dezenas de crianças e adolescentes (na maioria ex-menores de rua ou em situação de risco), acolhidos a partir de um projeto de ressocialização focado no aprendizado da capoeira e no artesanato dos instrumentos de percussão, jamais admitiu o mercantilismo das academias, defendendo e praticando a tese de que a capoeira é um saber que pertence ao povo afro-brasileiro. Para ele, esse legado não pode ser "vendido", comercializado. A capoeira deve ser transmitida aos legítimos herdeiros interessados na sua prática e preservação como uma herança que todos temos direito.

Mestre Cobra Mansa (BA)

Cinésio Feliciano Peçanha, Mestre Cobra Mansa, nascido no Rio de Janeiro, Brasil em 1960 começou capoeira em 1973 com mestre Josias da Silva e Raimundo, e em 1974 torna-se aluno de Mestre Morais quem o formou mestre. Capoeirista intenacionalmente conhecido, mestre Cobra Mansa corre o mundo dando oficinas de Capoeira Angola.

Mestre Vermelho (GO)

Nascido na Cidade de Goiás, iniciou sua trajetória com o Mestre Zumbi, na capoeira regional, de 1983 a 1986. Em janeiro de 1986 começou o trabalho de Capoeira Angola na Bahia-Salvador, com os Mestres Boca Rica, João Grande, João Pequeno, Valdemar, Bobó, e grupo Filhos de Angola de Cosme de Farias, no Centro de Cultura de Salvador .

Em 1988, Fundou a Associação de Capoeira Angola do Estado de Goiás e em 1990 em parceria com a Universidade Federal de Goiás fizeram um vídeo sobre a capoeira angola, que foi premiado no Festival Nacional de Vídeo em Maringá-SP.

Mestre Vermelho também é músico percussionista e possui uma escola própria de capoeira angola no Setor da Amendoeiras, em Goiânia, onde desenvolve trabalho social de musicalidade e capoeira. Atualmente é vice-presidente da Federação Goiana de Capoeira e presidente da Associação de Capoeira Só Angola do Estado de Goiás.

Trenel Leninho (GO)

Desenvolve trabalho com a cultura afro-brasileira, com ênfase para capoeira angola, percussão, produção de artesanatos e confecção de instrumentos percussivos (palha, madeira, bambú, sementes, cabaça e material reciclado). Começou na capoeira em 1986, na cidade de Goiás.

Em 1993, funda o grupo Meninos de Angola. Em Goiânia, funda o grupo Angolerê, em 1998. Em 2001, conhece o Mestre Cobra-Mansa, um dos ícones da capoeira angola atual e torna-se seu discípulo. Do mestre, recebeu o título de Treinel, concedido durante o Encontro Internacional da FICA, no Rio de Janeiro.

 

Conheça a Vila de São Jorge, palco do Encontro de Culturas e entrada do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros:

Como chegar, mapa da cidade
Pousadas, chalés e campings
Restaurantes, lanches e bares


4696 visualizações - 23/07/2009
Interação aumenta a cada dia na III Aldeia Multiétnica

2997 visualizações - 03/07/2009
Fórum de Culturas Tradicionais do Estado de Goiás

   
Início | O Encontro | Programação | Imprensa | Notícias | Ficha Técnica | Contato
2004 - 2009. Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros. Um projeto da Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge e Asjor.
Fotos e matérias podem ser distribuídas desde que citados os créditos da Agência de Notícias Cavaleiro de Jorge e do fotógrafo.
Desenvolvido por Carlos Filho - Goiânia