Avá-Canoeiro (GO)

O nome Avá-Canoeiro surgiu no início da década de 1970, porém essa etnia também é reconhecida como Canoeiro, Cara-Preta ou Carijó. O grupo possui um histórico de habitação conturbado. Sofreram um massacre em 1969, quando habitavam os estados de Goiás, Minas Gerais e Tocantins. Os sobreviventes ainda tiveram que viver por 12 anos em cavernas.

Hoje eles se dividem entre o município de Minaçu, em Goiás, e da Ilha do Bananal, na Bacia do Rio Araguaia, no Tocantins. Segundo dados da Fundação Nacional de Saúde (Funasa), as duas reservas totalizavam em 2006, 16 indivíduos.

Existem apenas cinco índios da etnia Avá em Goiás, que correm risco de extinção. São eles: Matcha, de 72 anos; Naquatcha, de 67; Tuia, de 37; Iawí, de 57; e o filho Trumak, de 21 (veja a entrevista de Trumak sobre o massacre da tribo Avá-Canoeiro). Os Avá fazem parte da família lingüística Tupi-Guarani.

O modo de vida e os recursos naturais da etnia são baseados em formas de subsistência, como agricultura combinada com caça, coleta e abates de caça. O grupo utiliza instrumentos e ferramentas de metal.

A cultura material fica restrita a poucos itens, como instrumentos musicais e cachimbos. A pintura corporal e a plumária são elementos que praticamente desapareceram. O abate de animais resultou em uma série de artefatos feitos com materiais advindos de casco, couro, chifre, crinas e pedaços de tecidos. Outros produtos da cultura regional - como cordas velhas, fios de nylon, sacos e produtos agrícolas da região das roças - também são utilizados na produção artesanal.

A estratégia de sobrevivência dos Avá-Canoeiro é viver em alta mobilidade e em pequenos grupos, se deslocando pelo norte e centro-oeste brasileiro, nos estados de Tocantins e Goiás. Esse comportamento também é utilizado por grupos Tupi, como os Guajá do Maranhão, que são forçados a um eterno deslocamento por conta de conflitos históricos.

Mais Informações sobre os Avá-Canoeiro em http://pib.socioambiental.org/pt/povo/ava-canoeiro/

Entrevista com representante da etnia Avá-Canoeiro

22/07/2009

.

Entrevista com representante da etnia Avá-Canoeiro - IX Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros from Encontro de Culturas on Vimeo.

Entrevista com representante da etnia Avá-Canoeiro
Trumak, o representante da etnia Avá-Canoeiro, concedeu uma entrevista a Agência de Notícias da ASJOR durante o IX Encontro de Culturas Tradionais da Chapada dos Veadeiros


Ih... nenhum áudio cadastrado ainda.

 






Desenvolvido por CarlosFilho.com2004 - 2010. Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros. Um projeto da Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge e Asjor.

Fotos e matérias podem ser distribuídas desde que citados os créditos da Agência de Notícias Cavaleiro de Jorge e do fotógrafo.