O Mamulengo (teatro popular de bonecos brasileiro) está prestes a ser reconhecido pelo IPHAN / MinC como patrimônio imaterial brasileiro se revitalizando e abrindo novos espaços de atuação e possibilidades de trabalho para velhos mestres e novos aprendizes. Isso prova que tradição cultural também pode se atualizar sem perder a essência. Para discutir essas e outras questões pertinentes ao brinquedo o X Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros abre o ESPAÇO MAMULENGO e convida mestres, aprendizes, representantes do poder público e interessados em geral para desfrutarem das graças do brinquedo.

Nas Rodas de Mamulengos conversas sobre como fortalecer o brinquedo e os brincantes ampliando o conhecimento de todos e buscando soluções para as questões sempre novas apresentadas pela velha e dinâmica realidade.

Mamulengo Riso do Povo - Glória do Goitá (PE)

O mais autêntico, o mais fértil, o grande mestre da atualidade do mamulengo da zona da mata pernambucana, Mestre Zé de Vina, sabe como ninguém desvendar o fio misterioso da tradição, a ela incorporando sutilmente elementos da contemporaneidade. Ele rejuvenesce e reescreve a tradição do mamulengo a cada novo espetáculo. O mestre se faz acompanhar por um criativo trio de forró que toca o “baiano” ritmo particular ao brinquedo.

Mamulengo Fuzuê (DF)

O Grupo Cultural Brincante Mamulengo Fuzuê representa a nova geração do teatro popular brasiliense. Eles se apresentam em várias localidades do Distrito Federal, levando a alegria e o encantamento do teatro de bonecos ao público da região. O Mamulengo Fuzuê integra o Ponto de Cultura Invenção Brasileira, coordenado por Chico Simões e apresenta o espetáculo Benedito, Abençoada e Bendizido.

Mamulengo Presepada (DF)

Em O Romance do Vaqueiro Benedito com Margarida, a Maravilhosa Filha do Malvado Capitão João Redondo Chico Simões é um “aprendiz de feiticero” e apresenta uma brincadeira com caracteristicas de diversos mamulengos com os quais conviveu durante 25 anos de viagens e pesquisas, acrescentando uma pitada poética e algumas figuras com parentesco próximo com os personagens da Commedia Dell`Arte, ligando as tradições brasileira e europeia dessa arte universal. As brincadeiras seguem um roteiro que pode variar de acordo com as circunstâncias em que é apresentado, mas a história sempre tratará de questões particulares aos personagens
que se universalizam por identificação com qualquer plateia. Benedito, o Boi Estrela e Margarida chegam do sertão e procuram estabelecimento entre a as pessoas da plateia.

Mamulengo Sem Fronteiras (DF)

Coordenado por Walter Cedro, o grupo Mamulengo Sem Fronteiras teve início em 1996, a partir da convivência com o mamulengueiro e mestre Chico Simões. São vários anos pesquisando as formas de mamulengo e Teatro pelo Brasil, mantendo a tradição das brincadeiras populares e buscando novas formas de trabalhar a tradição e a atualidade. Hoje, o Mamulengo Sem Fronteiras compartilha essas experiências ministrando oficinas de mamulengo, teatro popular e participando de diversos festivais da Europa, América do Sul e diversos estados brasileiros.

 





Desenvolvido por CarlosFilho.com2004 - 2010. Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros. Um projeto da Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge e Asjor.

Fotos e matérias podem ser distribuídas desde que citados os créditos da Agência de Notícias Cavaleiro de Jorge e do fotógrafo.