A super lotação de carros e ausência de regras de trânsito, aliadas às pequenas dimensões de uma vila especial, que não possui e nem deseja a infraestrutura que a transforme em uma cidade comum, resulta em caos nas ruas e espaços públicos de São Jorge em alta temporada.

A situação se agrava ainda mais durante o Encontro de Culturas Tradicionais, quando a Vila chega a alcançar sua ocupação máxima e tem suas ruas tomada por carros circulando ou estacionados em todos e quaisquer espaços livres de São Jorge. Uma realidade que já é alvo de críticas e reclamações por parte de moradores e visitantes, por afastá-la daquilo que ela é e do que todos que a visitam buscam: um lugar tranquilo e calmo, onde a natureza e a cultura são protagonistas do espaço e do modo de viver.

Os danos e problemas conseqüentes da utilização excessiva de automóveis nos centros urbanos já é senso comum no Brasil. A reclamação número um de quem mora nas grandes cidades brasileiras é o stress provocado pelas horas perdidas em congestionamentos, provocados por sua vez pelo excesso de carros nas vias.

Essa situação tomou forma e não para de se intensificar, como reflexo da opção do poder público brasileiro de privilegiar investimentos para a infra-estrutura de circulação do transporte individual, como carros e motos, em detrimento do transporte coletivo público (ônibus, trem, mêtro etc) ou não motorizados, como a bicicleta.

Nesse contexto e com o objetivo de mudar a situação é que a Asjor lança o projeto Ruas Vivas de São Jorge!, concebido pela TC URBES, empresa especializada em projetos de mobilidade e desenho urbano, que doou o projeto.

Este ano, quem vier para São Jorge durante o X Encontro de Cultura Tradicionais da Chapada dos Veadeiros vai se deparar com uma situação diversa. As ruas da nossa vila terão menos carros estacionados e algumas delas estarão exclusivamente fechadas para as pessoas e para o imenso mosaico de culturas tradicionais que se farão presente no Encontro.

O programa terá início a partir do dia 23 de julho e consiste basicamente na regulamentação da circulação, estacionamento e parada dos veículos motorizados nas ruas de São Jorge, ou seja, nossa vila vai ter regras de trânsito como qualquer outra cidade. Mas aqui a dimensão do humano virá antes da das máquinas, o que proporcionará o encontro, a troca e a vivência entre as pessoas.

A principal novidade das Ruas Vivas de São Jorge"é a transformação temporária dos eixos das vias onde acontecerão as apresentações e vivências do X Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros, em espaços livres para as pessoas. Tudo isso vai estar bem explicado nas placas de sinalização espalhadas pela Vila, como acontece em qualquer cidade! Portanto, preste atenção quando estiver chegando em São Jorge e obedeça as novas regras de trânsito!

Um ponto fundamental é que a circulação dos carros não vai piorar. Pelo contrário! Os carros vão andar melhor e sem aquela bagunça e congestionamento com os quais já estávamos nos acostumando. Além disso, bolsões de estacionamento foram criados para oferecer as vagas necessárias para os visitantes.

A idéia das "Ruas Vivas" não é atrapalhar ninguém, mas mostrar como com organização e planejamento é possível transformar o espaço público um espaço melhor e mais humano!

Tudo isso só vai acontecer porque a Prefeitura de Alto Paraíso oficializou o programa e a Polícia Militar de Goiás ajudará na fiscalização do cumprimento das normas de trânsito. E, principalmente, porque os moradores da Vila de São Jorge têm consciência da importância da preservação do espaço, natureza e cultura em que vivem. Além de você, que vem aproveitar o que temos de melhor aqui da Chapada!

E vamos que o Santo é forte e é guerreiro! Ruas Vivas de São Jorge!





Desenvolvido por CarlosFilho.com2004 - 2010. Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros. Um projeto da Casa de Cultura Cavaleiro de Jorge e Asjor.

Fotos e matérias podem ser distribuídas desde que citados os créditos da Agência de Notícias Cavaleiro de Jorge e do fotógrafo.